DIABETES – Dra. Renata Giovannetti Costa Battaglia

Dando continuidade a participação dos médicos aqui no nosso site, vamos falar sobre esse assunto que com certeza atinge muitas pessoas, a diabetes. Quem vos fala é a Dra. Renata Giovannetti Costa Battaglia (CRM:26811). Formada em Medicina pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), Residência em Clínica Médica pela UEM e em Endocrinologia e Metabologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), e Título de especialista em Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

________________________________________________________________________________

O diabetes é um distúrbio metabólico de origem múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade desse hormônio exercer adequadamente seus efeitos, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue.

A insulina promove a redução da glicemia ao permitir que o açúcar que está presente no sangue possa penetrar dentro das células, para ser utilizado como fonte de energia. Portanto, se houver falta desse hormônio, ou mesmo se ele não agir corretamente, haverá aumento de glicose no sangue e, consequentemente, o diabetes.

Há 3 tipos principais de diabetes:

  • Diabetes tipo 1: o pâncreas perde a capacidade de produzir insulina em decorrência de um defeito do sistema imunológico. Nesse caso, o tratamento é realizado com a administração diária de insulina no tecido subcutâneo.
  • Diabetes tipo 2: existe uma combinação de dois fatores: a diminuição da secreção de insulina e um defeito na sua ação, conhecido como resistência à insulina. É o tipo mais comum de diabetes, que está freqüentemente associado com obesidade, sedentarismo e hipertensão arterial, e que geralmente pode ser tratado com medicamentos orais. Contudo, com o passar do tempo, pode ocorrer o agravamento da doença e, assim, também ser necessário o uso de insulina injetável.
  • Diabetes gestacional: é o aumento da resistência à ação da insulina na gravidez, levando à elevação dos níveis de glicose no sangue diagnosticado pela primeira vez na gestação, podendo – ou não – persistir após o parto.

Os critérios para o diagnóstico de diabetes são:

  • Sintomas de poliúria (urina em excesso), polidipsia (sede excessiva) e perda de peso associados com uma glicemia casual (realizada a qualquer hora do dia) > 200mg/dl.
  • Glicemia de jejum ≥ 126mg/dl. Em caso de pequenas elevações da glicemia, o diagnóstico deve ser confirmado pela repetição do teste em outro dia.
  • Glicemia de 2 horas pós-sobrecarga de 75g de glicose > 200mg/dl.
  • Hemoglobina glicada (exame que mede a glicemia dos últimos 3 meses) >6,5%, a ser confirmada em outra coleta. Dispensável em casos de sintomas ou glicemia > 200mg/dl.

Para prevenir o surgimento do diabetes tipo 2, que é o tipo mais comum e que pode ter seu aparecimento evitado ou retardado, é importante ter um estilo de vida saudável, que inclui a prática de exercício físico regular (pelo menos 150minutos/semana) e uma dieta balanceada, visando a combater o excesso de peso. Além disso, deve-se realizar acompanhamento médico regular e exames laboratoriais de rastreamento com freqüência variando de acordo com a idade do paciente e presença de doenças associadas. Converse com seu médico!

renata corte

Dra. Renata Giovannetti Costa Battaglia (CRM:26811). Atende na CLIPEM. Rua das Azaléias, 293. Zona 5. Maringá/PR.