DENGUE- Antígeno NS1

 

A infecção pelo vírus da dengue pode manifestar-se de varias formas, desde uma doença assintomática, ou com leves sintomas, semelhantes a outras doenças infecciosas como a gripe, e até mesmo formas mais graves com quadros hemorrágicos. A redução de complicações na evolução da doença, e até mesmo da mortalidade, estão diretamente relacionadas ao diagnóstico precoce e ao manejo adequado do doente.

Com a realização da sorologia para Dengue, a presença de anticorpos IgG e/ou IgM estabelece um diagnóstico. Entretanto, os anticorpos IgM somente resultarão positivo após o 6º dia do aparecimento dos sintomas, e os anticorpos IgG por sua vez, após o 15º dia. Os exames mais comuns, hemograma, VHS e contagem de plaquetas, são insuficientes para confirmação diagnóstica prévia, embora sejam relevantes para o estado clínico do paciente. Eles não permitem identificar a dengue, apenas reforçam a hipótese de diagnóstico da mesma e suas alterações são mais significativas apenas quatro ou cinco dias após o início da febre. Dependendo da gravidade da infecção e sua evolução, não é possível aguardar este tempo para que um diagnóstico seja definido.

O antígeno NS1 é uma proteína comum aos quatro tipos de dengue e que pode ser utilizado como um marcador de infecção.

Características do Antígeno NS1:

  • É detectável na fase aguda (início) da doença, antes do aparecimento dos anticorpos.
  • Encontra-se presente nos quatro tipos de infecção pelo vírus da dengue
  • Possui sensibilidade elevada até o quarto dia após o ínicio sintomas, sendo a melhor sensibilidade quando a coleta é efetuada entre 24 e 48 horas após o início da febre.
  • É encontrado tanto na infecção primária quanto na secundária.
  • Não ocorrem reações cruzadas com outros tipos de vírus.
  • É possível encontrar o antígeno NS1 quando os anticorpos ainda não são detectáveis e é possível encontrar anticorpos quando o antígeno deixa de ser detectado, portanto ambos os exames se complementam.