As concentrações de triglicérides e de colesterol aumentadas, e de colesterol HDL diminuída são denominados de DISLIPIDEMIAS.

As dislipidemias podem ser definidas como distúrbios do metabolismo lipídico, com repercussões sobre os níveis de lipoproteínas na circulação sanguínea. As lipoproteínas de baixa densidade (LDL colesterol) é o maior carreador de colesterol para as células e está associado ao início e à aceleração do processo aterosclerótico (formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos). Já as lipoproteínas de alta densidade (HDL colesterol), popularmente chamado de “Bom colesterol”, são de extrema importância, pois participam do transporte reverso do colesterol, sendo consideradas antiaterogênica (diminui a formação de placas nos vasos).

Adequados hábitos alimentares e a prática de exercícios físicos exercem efeito benéfico sobre as dislipidemias, levando a diminuição do Colestreol e Triglicérides e aumento de HDL colesterol.

Ainda que a genética, o sexo e a idade sejam de grande importância para o desenvolvimento das dislipidemias, a mudança de hábitos alimentares e a prática de atividades físicas são modificações no estilo de vida que podem melhorar de forma significativa a qualidade de vida. Se associadas, essas práticas podem ainda otimizar as mudanças do perfil de colesterol e triglicérides, sendo além disso, intervenções de baixo custo, se comparadas com tratamentos medicamentosos.

Os principais “vilões” são as gorduras saturadas elevando o colesterol, os ácidos graxos saturados relacionados com o aumento do colesterol total e do Colesterol LDL (Ruim) e do triglicérides.

Sendo assim, fica claro que bons hábitos alimentares, exercícios físicos freqüentes são as melhores armas contra as dislipidemias.

Freqüentemente devemos passar por um médico para uma avaliação, e exames laboratoriais devem fazer parte desta rotina para um diagnóstico e controle preciso.